Inteligência Emocional

Inteligência Emocional

O dia-a-dia das pessoas no mundo contemporâneo vem se caracterizando pelo excesso de informações que chegam em altíssima velocidade, bem como, pela sobrecarga de atividades no trabalho, conflitos nas relações interpessoais, e incertezas em relação ao futuro, o que tem gerado ansiedade e estresse. Segundo os estudiosos, a depressão, que se origina do estresse e estado de melancolia, será o mal do século.

A solução para esses males da vida moderna se encontra no desenvolvimento e uso da inteligência emocional no nosso dia-a-dia.

Quando se fala em inteligência emocional, tendemos a relacioná-la com a capacidade que certas pessoas demonstram, de manter o autocontrole diante de situações conflituosas, perigosas e estressantes. Embora o autocontrole seja algo muito importante, ela não traduz completamente o que seja a inteligência emocional.

Ser emocionalmente inteligente significa ter a capacidade de manter o autocontrole, sem guardar magoas ou alimentar o ódio em relação aos outros, ainda que tenhamos sofrido agressões físicas ou psicológicas.

Quando guardamos rancor ou alimentamos ódio em relação aos demais, tendemos a somatizar tais sentimentos negativos, os quais acabam se manifestando em nosso organismo, na forma de doenças físicas e problemas que afetam nossa saúde física e mental.

A inteligência emocional é constituída pela habilidade de perceber, avaliar e expressar emoções de forma adequada, gerando sentimentos que facilitem o equilíbrio no pensar, entendimento e controle das emoções, buscando promover o crescimento emocional e desenvolvimento intelectual.

Ela também esta relacionada à capacidade de se auto-motivar, de superar os traumas e os reveses da vida, de persistir na busca da consecução de nossos objetivos de vida, mantendo sempre o foco no controle das emoções e impulsos, canalizando a energia produzida pelas nossas emoções de forma positiva, bem como, está relacionada a capacidade de motivar as pessoas, estimulando-as a expressarem seus melhores talentos, buscando obter engajamento na consecução de metas e objetivos comuns.

A capacidade de controlar os impulsos e a base do caráter, uma vez que as aptidões emocionais nos fazem tomar posições equilibradas, coerentes, éticas e morais, conquistadas pelo autoconhecimento e reflexões. A capacidade de ler emoções e colocar-se no lugar dos  outros conhecida como empatia, nos tornam capazes de desenvolver o sentimento altruísta de amor ao próximo.

O desenvolvimento da inteligência emocional está diretamente relacionada à qualidade de vida, na medida em que, pesquisas demonstram que  a pessoa emocionalmente equilibrada,  e que tenha desenvolvido em alto grau as habilidades sociais, tendem a serem mais adaptadas as pressões da vida moderna e dizem-se mais felizes.

Faça da reflexão um hábito salutar em sua vida, procure conhecer-se melhor, busque entender as motivações das pessoas, perdoe mais a si mesmo e a aos outros, seja flexível e procure relacionar-se bem com as pessoas, sorria mais, ame mais e seja feliz!

Fonte:  ESCRITO POR NELSON TANUMA em http://nelsontanuma.com.br